Moscou: visitando o Kremlin – segundo dia

No segundo dia acordamos cedo e partimos rumo ao Kremlin (site aqui). O dia estava feio e chuvoso e mesmo chegando cedo a fila já estava grande…

Russia 336

torre relogio_Kremlin

Kremlin ( significa “forte” ou fortaleza) é o centro político da Rússia atual e desde que foi construído, no século XI, possuía uma grande importância para a cidade. Ele já foi o centro do Império, o centro da Igreja Ortodoxa, além de servir de palco de muitas revoluções que mudaram o mundo.

Russia 335

Foi de lá que Alekssander I coordenou a expansão do território russo contra a Mongólia e o Japão;  Pedro, o Grande lutou contra a Suécia e transformou a Russia num país “Europeu”;  Ivan, o Terrível massacrou milhares de pessoas e assistiu ao terror para vingar a morte de sua esposa envenenada;  Napoleão também esteve lá e  assistiu Moscou queimar inteira em retaliação à invasão francesa. O último acontecimento marcante foi em 1917, quando Lênin e os Bolcheviques comandaram a revolução.

Na verdade o Kremlin é uma grande área, cercada por uma muralha (funcionando como uma fortaleza mesmo) que abriga um conjunto de edificações  importantes, são elas:  o Palácio do Kremlin, o Senado, a Torre do Grande Sino, a Praça das Catedrais com: a Catedral da Anunciação, a Catedral do Arcanjo Miguel, além da a Coleção de Jóias da família Imperial, o Palácio Terem e o Palácio Facetado.

Kremlin

Russia 344_Canhao do czar

O Canhão do Czar: construído em 1586 tem quase 1m de calibre e 5.34 metros de comprimento!

Russia 348

Sino_Kremlin

Sino de Ivan, o Grande: mede 6,14 metros de altura por 6,6 metros de diâmetro e pesa 202 toneladas.

O Kremlin não é somente um ponto turístico para visitação, ainda hoje é de lá que o presidente da Rússia trabalha. Como toda área governamental o local é cheio de regras de segurança, com muitos guardas extremamente atentos e desconfiados das atitudes dos turistas. Não é permitido circular por conta própria por lá pois segue-se um roteiro pré-determinado pelos pontos possíveis de visitação. No caso de viajantes avulsos são formados grupos que circulam com os guias credenciados. Tudo é muito vigiado, a impressão que eu tive é que os guias não possuem liberdade para dar explicações, só podendo falar o que está no “script”.

Kremlin

Palácio Estatal

Russia 339_Arsenal

Arsenal

A quantidade de Igrejas lá dentro deve-se ao fato do local já ter sido sede da Igreja ortodoxa Russa (século IX), quando, após a queda de Roma e de Constantinopla, Moscou foi declarada a “terceira Roma”.

Russia 354_Catedral da Assuncao

Catedral da Assunção

Kremlin

Catedral da Assunção

Kremlin

Catedral da Assunção

Kremlin

Catedral da Assunção

As Igrejas,  majestosas externamente, possuem um interior bastante diferente das Igrejas Ocidentais que estamos “mais acostumados” a visitar. As paredes geralmente são tomadas por pinturas ou mosaicos que muitas vezes vão do piso ao teto. Ao lado da porta de acesso ao altar, onde só é permitida a entrada de sacerdotes há a imagem de Cristo, de Maria ou do santo ou fato religioso que dá nome à igreja. Nos pilares  a representação de mártires, numa referência de que são eles que sustentam a igreja. Não há bancos nas igrejas ortodoxas, os fiéis acompanham a missa em pé, isso dá uma grande amplitude ao interior da igreja.

Russia 351_Catedral dos 12 apostolos

Catedral dos 12 Apóstolos

Russia 347_Catedral dos 12 apostolos

Catedral dos 12 Apóstolos

Como tínhamos ingresso para todo o dia, saímos do Kremlin almoçamos no restaurante GlavPivTorg, visitamos rapidamente a Galeria Tretiakov (que falarei num post específico)e voltamos.

Então ainda no Kremlin, seguimos para o museu das armaduras e jóias, o  Armoury, onde todo luxo vivido pelos czares  e czarinas está exposto. O museu está dividido em alas, onde é possível ver trajes, armaduras, jóias, louças, coroas (de tirar o fôlego) usados pelos líderes do país entre séculos XV e XVIII. Chegando nas jóias, o ápice é a seção dedicada aos diamantes, a Rússia é o país que mais possui diamantes e pedras raras no mundo. Para quem gosta de diamantes, é lá que está exposto o maior diamante já escavado, que tem 200 quilates!! O “mimo”  foi um presente de aniversário que a rainha Catharina recebeu de um de seus amantes. Mas atenção: a sala dos diamantes fica fechada para visitação entre 13h e 14h. As demais alas possuem horários fixos para entrada (10h, 12h, 14h30 e 16h30). É sem sombra de dúvidas um dos pontos mais visitados na cidade, por isso o ideal é chegar cedo (as filas são grandes!).

Russia 364_Armory[

Armory e a “pequena” fila

Russia 358_1

Ah! não esquecendo que é lá também que está exposta a coleção de 10 ovos Fabergé, um patrimônio russo. Cada “ovinho”  custa aproximadamente 20 milhões. Dos 69 ovos conhecidos, apenas 61 chegaram aos nossos dias. A maioria encontra-se em exposição em museus públicos por todo o mundo, embora o maior número (30) se encontre na Rússia. Dos 54 ovos imperiais conhecidos, sobreviveram 46. São muito lindos mesmo, o trabalho na elaboração de cada um era minucioso e levava meses até que ficasse pronto.

À noite tínhamos reservado o jantar em um restaurante maravilhoso, o Turandot (farei um post específico sobre os restaurantes de Moscou). E depois seguimos para o hotel, pois o dia já havia sido bem movimentado!

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Moscou, Rússia e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Moscou: visitando o Kremlin – segundo dia

  1. G. Cabrini disse:

    Muito interessante, a Rússia é tão misteriosa e única. Não é européia, não é asiática, sempre existiu sozinha.

  2. Amanda Roth disse:

    Para mim a viagem à Rússia foi uma grande descoberta, voltei absolutamente encantada com tudo o que vi. Acho que realmente esta mistura fez dela um país único! Obrigada pela visita

  3. Pedro disse:

    “Os judiados pela doutrina filosófica da teologia da retribuição afastam-se do mal por medo do castigo e fazem o bem esperando recompensas. Transmudam-se assim, inconscientes em mercenários da religião.” Este é o São Basílio que emprestou o nome a uma das mais famosas catedrais ortodoxas do mundo, no centrão da capital russa, ladeando e emoldurando junto com um museu histórico a legendária praça vermelha de Moscou. E de quebra, vigia o vizinho e sisudo kremlim…:)

  4. Pedro disse:

    A Rússia de certo modo continua bárbara, inculta demais para ser europeia, polida demais para ser asiática…:)

Dê vida ao Arquitetando Rotas, comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s