A disputada Colonia del Sacramento

A simpática Colonia del Sacramento fica à 177km de Montevideo, a estrada (Ruta 1) para chegar até lá é tranquila e muito bonita. Passa-se por paisagens rurais típicas do interior do Uruguai com vastas planícies cultivadas e  pastos a perder de vista. Não há muito trânsito, a chegada à cidade é marcada por um belo túnel de palmeiras butiá que traz pompa à entrada a já tão disputada Colonia.

https://arquitetandorotas.wordpress.com

Até bem pouco tempo a cidade era considerada um “pueblito” pacato e tranquilo, em 1995 foi declarada Patrimônio Histórico da Humanidade pela Unesco o que a fez ganhar notoriedade e um grande movimento de turistas do mundo todo, mas mesmo assim ainda pode-se dizer que Colonia conserva seus hábitos rurais de uma cidade pequena.

Colonia del Sacramento foi fundada por portugueses e disputada durante décadas pelas coroas da Espanha e Portugal pois possuía uma localização geopolítica estratégica: está à 50km de Buenos Aires e é banhada pelo Rio da Prata. Essa disputa durou mais de 1 século.

https://arquitetandorotas.wordpress.com

Como consequência dos conflitos e da constante troca de domínio, a cidade guarda até hoje os diferentes estilos arquitetônicos dos seus colonizadores. O traçado das ruas é de origem portuguesa, ou seja, os portugueses partem sempre do ponto mais alto da cidade e desde aí, acompanhando a irregularidade do terreno, erguem suas casas e traçam as ruas. Já os espanhóis utilizam o traçado tipo “tabuleiro de xadrez”, aplicando um traçado rígido e ortogonal no terreno independente dele ser plano ou acidentado.

Com relação aos estilos arquitetônicos que se podem ver em Colonia, o que se destaca mais é o português. As casas são feitas com pedras rústicas irregulares e algumas poucas pedras trabalhadas, as janelas geralmente são amplas, as portas bem simples, as fachadas podem ser sem ornamentos (lisas) e geralmente brancas, as esquinas chanfradas. Encontramos também alguns belos exemplares de art noveau retílineo, além de algumas edificações em estilo neoclássico (geralmente as que abrigam alguma atividade do governo).

Chegando no bairro histórico, ainda podemos ver parte da muralha com a porta de entrada da cidade (1745), do fosso e a ponte levadiça que faziam parte da proteção da entrada da cidade além dos bastiões de San Miguel, San Antonio del Carmen, de San Pedro e de Santa Rita, defendidos por poderosos canhões.

https://arquitetandorotas.wordpress.com

Sobre a famosa Calle de los Suspiros (rua típica portuguesa, estreita, com arruamento original e pavimentação com pedras em forma de cunha, de design português e com uma vala de drenagem no meio) dentre as várias explicações para o nome, duas hipóteses se destacam. Uma delas a de que alí, nos tempos de colônia, seria a última passagem dos condenados à morte que seriam jogados no rio, ao final desta, para morrerem afogados; a outra, é de que a rua teria abrigado um bordel no início do século XX .

https://arquitetandorotas.wordpress.com

Para quem quiser saber um pouco mais sobre os fatos importantes na história colonial, há o Museu Espanhol. Esta típica construção portuguesa de 1720  conserva boa parte da sua arquitetura original, foi restaurada e convertida em museu em 1976. Tem como acervo cerâmicas de Castilla, trajes regionais típicos, uniformes de regimentos, algumas pinturas á óleo, escudos e vários mapas.

Assim como no Museu Espanhol, o Museu Português expõe alguns fatos históricos, uniformes do Regimento dos Dragões de 1772, estandartes, armas utilizadas para defender a cidade, restos de cerâmica e muito mais.

O Museu Municipal, localizado em uma bela antiga casa portuguesa, reúne e exibe o mais importante material sobre a vida social na antiga Colonia del Sacramento.

No Museu Indígena (inaugurado em 1988) é possível ver vestimentas, acessórios e objetos dos índios encntrados na região.

O pequenino Museu dos Azulejos, localizado nas margens do rio, fica em uma antiga casa típica portuguesa de 1760. Em seu acervo, espetaculares azulejos portugueses, franceses e espanhóis (os primeiros produzidos em Uruguai).

https://arquitetandorotas.wordpress.com

A Casa Nacarello ou Casa Rosada é um dos belos exemplares portugueses muito bem conservados de construção em pedra do século XVIII, faz parte do Museu Municipal.

As Ruínas do Convento de São Francisco nos transportam para o século XVII, ao lado da capela, faziam parte do convento de São Francisco Xavier, uma das construções mais antigas de Colonia del Sacramento.

Uma das visitas mais bacanas para se ter um panorama geral da cidade é subir até o topo do Farol, que possui uma enorme carga histórica. Em 1855, quando os espanhóis e portugueses disputavam o domínio da cidade, ocorriam muitos naufrágios durante as noites pois o rio da Prata ficava mais revolto. Em razão disso, dicidiram construir um farol para iluminar a cidade e o construíram sobre parte das ruínas do antigo Convento de São Francisco.

https://arquitetandorotas.wordpress.com

Um pouco mais afastado do casco histórico está a antiga Plaza de Toros, típica construção espanhola para a prática de touradas. Não recomendo a visita em função de estar totalmente isolada pois está literalmente caindo aos pedaços…uma pena!

Ainda próximo a entrada da cidade há uma feirinha de artesanato que acontece aos finais de tarde, para quem gosta de um souvenir local acho que vale dar uma conferida.

O passeio pelo trapiche sobre o rio é interessante para se fazer ao final da tarde e pede o acompanhamento de um bom chimarrão, ou mate conforme chamam os uruguaios.

Há excelentes hotéis na cidade, para todos os gostos e bolsos, o Radisson Colonia foi o que ficamos. Muito bem localizado, com quartos confortáveis e uma piscina com vista incrível para o Rio da Prata.

https://arquitetandorotas.wordpress.com

Uma boa opção para quem não está de carro é alugar os carrinhos de golf ou scooters que várias empresas disponibilizam. Se percorre toda a cidade e é divertidissimo!!

Um dos restaurantes que fomos e eu recomendo é o La Casa de Jorge Paez Vilaró, fica pertinho do museu dos azulejos. O restaurante é conduzido pelo filho de Jorge Páez Vilaró, irmão de Carlo P. Vilaró (Casapueblo). As paredes do restaurante são decoradas com várias obras de arte. O atendimento é ótimo, assim como os pratos!

DSC05973

https://arquitetandorotas.wordpress.com

Anúncios
Esse post foi publicado em Colonia del Sacramento, Uruguai e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

5 respostas para A disputada Colonia del Sacramento

  1. Marília Lucena disse:

    Eita.. blog recém nascido. Sou uma “tia everywhere” e já estou acompanhando seu blog. Parabééns! 😉 Que seu blog tenha muitos anos de vida e que seja um sucesso!!
    Beijos

  2. Amanda Roth disse:

    Oi Marília! Que prazer contar com a visita de uma das “tias Every Where” =)
    Aos pouquinhos estou postando minhas andanças!
    Um Bjao pra ti e apareça sempre!!

  3. Angela Mello disse:

    Passear pelo centro histórico é como fazer uma viagem ao passado, já que as ruas foram preservadas.
    Colonia del Sacramento é tão perto vale muito conhecer .
    Bjs
    Angela Mello
    Sua Mamisa.

  4. Patricia de Oliveira Mello disse:

    Ainda não decidimos sobre o destino nas férias de verão. Amei a postagem sobre Colônia de Sacramento. Vou considerar na decisão, bjus.
    Tia Pati

  5. Amanda Roth disse:

    Colônia é uma ótima opção! Dá até pra ir de carro se vcs animarem, é uma viagem bem tranquila de se fazer, só estrada boa.
    Obrigada pela visita tia Pati, bjs!!

Dê vida ao Arquitetando Rotas, comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s